Inovação Tecnológica

Como a visão dos computadores está transformando a VR em realidade mesclada

VR

A adição de sentidos semelhantes aos humanos e inteligência artificial aos dispositivos de VR está revelando uma nova realidade que vem ampliando a imaginação.

Pense em sentar-se em um carro e prender um dispositivo de cabeça que permita ao motorista utilizar seu volante para percorrer uma simulação de autoestrada que parece real. O motorista então para, sai do carro e caminha entre as ruínas espalhadas de um castelo medieval, reconstruído digitalmente em toda a sua majestade, com visão de 360 graus.

Esse e outros tipos de experiência de realidade mesclada imersiva estão em condições de se tornar mais disseminados em 2017, quando os HMDs (head mounted displays) se desenvolverem rapidamente com processadores potentes, sentidos semelhantes aos humanos e inteligência artificial.

“A maneira como nos divertimos e consumimos informações está passando por uma revolução”, disse Achin Bhowmik, vice-presidente e gerente geral do grupo de computação perceptiva da Intel.

GIF de demonstração de realidade mesclada

O crescimento das experiências de realidade virtual (VR) imersiva, realidade aumentada (AR) e realidade mesclada (MR) é alimentado pela criatividade humana e por uma tecnologia sofisticada e potente o suficiente para simular as leis fundamentais da natureza e replicá-las nos mundos digitais (leia VR’s Breakthrough Moment). A equipe de Bhowmik queria levar essas experiências mais longe associando as tecnologias Intel que acionam VR, AR e MR – tais como processadores, gráficos, memória e software – e acrescentando a inteligência artificial e os sentidos semelhantes aos humanos da tecnologia da câmera Intel RealSense. O resultado foi o Projeto Alloy da Intel, um design de referência de headset que ajuda os fabricantes de produtos a criarem novos dispositivos e experiências capazes de digitalizar o mundo real e inseri-lo na realidade virtual.

Bhowmik disse que a capacidade dos dispositivos de perceber e entender o ambiente à sua volta está abrindo novas possibilidades para a fusão dos mundos real e digital.

“Quando um dispositivo de VR consegue perceber o entorno do usuário e trazer o mundo real para as experiências virtuais, ele permite que aquela pessoa interaja com os elementos virtuais usando as próprias mãos”, explicou Bhowmik.

Para dar um exemplo, ele explicou de que modo a realidade mesclada em alta fidelidade pode ajudar os estudantes de medicina a aprender sobre o DNA humano e os órgãos internos de uma nova maneira.

“Eu posso me equipar com um headset do Projeto Alloy e ver a molécula de DNA em 3D, examiná-la em toda a volta, manipulá-la e interagir com ela”, disse Bhowmik. “Imaginemos interagir naturalmente com estruturas em 3D de órgãos internos do corpo humano – o cérebro, o coração, para compreender como funcionam.”

Nos últimos cinco anos, sua equipe vem desenvolvendo tecnologias capazes de dotar os dispositivos de sentidos semelhantes aos humanos. Recentemente, a tecnologia da câmera com sensor de profundidade Intel RealSense introduziu a visão 3D em uma ampla gama de dispositivos de computação, habilitando-os a entender gestos de mãos e expressões faciais, além de digitalizar objetos do mundo real. Ela está sendo inserida em drones e robôs, dotando-os de olhos para evitar colisões e navegar com autonomia no mundo em 3D. Agora, a RealSense está sendo integrada aos headsets de VR, dando-lhes percepção espacial e de contexto.

headset de realidade mesclada

A equipe de Bhowmik elaborou o Projeto Alloy para ser um headset de VR com múltiplas funções equipado com um sistema de computador completo. Ele permite que seu usuário se desloque livremente sem ficar preso a um computador ou depender de sistemas de sensores externos para obter o posicionamento exato e acompanhamento da cabeça. Foi demonstrado pela primeira vez em setembro de 2016, durante o Fórum de Desenvolvedores Intel, e suas versões mais modernas serão apresentadas na Feira Internacional de Eletrônicos de Consumo de 2017.

“O Projeto Alloy é um dispositivo inteligente capaz de sentir, entender, interagir e aprender”, acrescentou Bhowmik.

“Ele capta o mundo em 3D em tempo real, executa algoritmos de visão de computador em 3D para compreender o que vê”, disse. “Os recursos de aprendizagem de máquina permitem que ele entenda a intensão humana, como gestos de mão. Quando se está usando o headset, é possível simplesmente levantar as mãos e vê-las e então usá-las naturalmente para interagir com objetos virtuais sem depender de um controlador externo.”

Diferentemente das atuais experiências de VR, a realidade mesclada permite que as pessoas vejam e usem suas próprias mãos para levar objetos reais para um ambiente virtual.  O usuário de um dispositivo Alloy vê imediatamente seu cão em VR assim que ele entra em seu quarto do mundo real. Ele pode ver sua mão tocar e afagar o animal.

Bhowmik explicou que a capacidade de ver os membros do ser humano real na realidade virtual pode evitar reações subconscientes com dicas de propriocepção corretas, cuja ausência pode fazer as pessoas sentirem-se desconfortáveis após passar algum tempo em realidade virtual.

“Para criar uma ligação emocional com as experiências de realidade mesclada, os headsets do Projeto Alloy trazem uma quantidade enorme de dados em 3D do mundo real para fazer com que se pareça natural”, disse. “É preciso um volume imenso de captura de dados e processamento rápidos.”

Para transportar o mundo real até a realidade virtual em alta fidelidade, os novos headsets do Projeto Alloy captam e processam mais de 50 milhões de pontos de 3D por segundo. Bhowmik disse que isso ajudará os desenvolvedores a criarem novas experiências de realidade mesclada que transportem as pessoas – praticamente de qualquer lugar – aos pontos turísticos favoritos, exploração espacial, experiências de aprendizado e entretenimento.

Achin Bhowmik no Laboratório do Projeto Alloy da Intel

Os headsets do Projeto Alloy estão sendo disponibilizados para fabricantes de dispositivos de todo o mundo, facilitando a tarefa dos desenvolvedores de criar novos produtos e aplicativos de realidade mesclada.

Ao mesmo tempo, a tecnologia RealSense da Intel está sendo integrada a todos os tipos de dispositivos e sistemas de computação, tornando-os mais inteligentes e autônomos. Bhowmik disse que foram necessários bilhões de anos de evolução para a Natureza desenvolver a percepção humana sofisticada, formada por um complexo sistema visual em 3D, um sistema de audição biauricular, pele conectada a um sistema nervoso sensível ao toque e os sentidos do olfato e do paladar. Essa rede sensorial de funcionamento perfeito envia informações a um cérebro potente, com recursos de processamento incríveis.

Foi preciso somente uma década para os dispositivos digitais sentirem como os seres humanos, graças ao ritmo rápido da inovação da computação perceptiva. A capacidade de aprender e adaptar-se ao que os dispositivos sentem está muito próxima.

The post Como a visão dos computadores está transformando a VR em realidade mesclada appeared first on iQ by Intel.

Compartilhe esse artigo

Tópicos relacionados

Inovação Tecnológica

Leia também

Read Full Story