Games

Mil e uma possibilidades: jogos de mundo aberto tomam conta do cenário

Conceito existe há mais de 30 anos, mas ganhou popularidade há pouco tempo. Ano foi de vários lançamentos de títulos do tipo e 2018 promete mais

Em “GTA V”, você pode sair de um lado da cidade, roubar uma moto ou até mesmo um avião e fazer algo aleatório em outra região. A missão? Bem, a missão até existe, mas você não precisa cumpri-lá para jogar o game de uma maneira divertida. Essa é a graça — ou uma delas — dos jogos de mundo aberto, em que o jogador tem liberdade para construir sua jornada dentro do game da maneira que achar melhor. Pode até existir uma ordem ou algum direcionamento ou linearidade, mas cabe sempre ao gamer fazer o roteiro que ele achar mais interessante, já que tem a possibilidade de explorar um extenso mundo virtual. Esse modo de jogo existe há mais de três décadas, mas parece que só decolou de vez nos últimos anos.

A história dos jogos de mundo aberto

Não existe um consenso de quando surgiu o primeiro game de mundo aberto. Afinal, não existe um padrão de quão grande precisa ser um cenário para defini-lo como de mundo aberto. Segundo o Ars Technica, o conceito de exploração pode ter sido iniciado pelo jogo de texto “Colossal Cave Adventure”, de 1976, que inspirou o game “Adventure”, de 1980. Em 1984, o simulador espacial Elite foi outro jogo a se arriscar com o conceito de mundo aberto.

A primeira noção que vem à mente quando falamos de jogos open world, como também são chamados, é a ideia de um personagem vagando em um amplo cenário. No entanto, simuladores de voo, por exemplo, também podem se enquadrar no conceito. No game “Flight Simulator”, de 1980, existia um modo de jogo em que gamers podiam voar sem qualquer destino ou objetivo específico.

A história dos jogos de mundo aberto continuou sendo escrita e aos poucos se tornou mais popular: “Mercenary” (1985), “The Legend of Zelda” (1986), “Wasteland” (1988) e muitos outros ajudaram a tornar o modo conhecido. Na década de 90, um dos mais famosos jogos de mundo aberto foi “Super Mario 64”, ainda mais levando em consideração que o game era 3D. “Driver” (1999), “Donkey Kong 64” (1999) e “Banjo-Tooie” (2000) foram outros que consolidaram o open world.

Mas o título que causou mais impacto continua sendo “Grand Theft Auto”, popularmente conhecido como GTA. Mais especificamente, o terceiro game da série — GTA III, lançado em 2001. O formato deu tão certo que produtoras e desenvolvedoras repetiram aos montes games do tipo: “Watch Dogs”, “Assassin’s Creed”, “Red Dead Redemption”, “The Witcher 3”, “Elder Scrolls IV”, “No Man’s Sky”, “Fallout” e outros tantos títulos popularizaram de vez o formato.

Já “GTA V”, lançado em 2013, quebrou os recordes no quesito tamanho. “GTA III”, o primeiro da série nesse formato, tinha quase 5 quilômetros quadrados de área de jogo. Já “GTA V” tem incríveis 78 quilômetros quadrados. A cidade de Paris, na França, tem cerca de 105,4 quilômetros quadrados — pouco maior que o tamanho da área no jogo da Rockstar, enquanto Manhattan, em Nova Iorque, tem 59,1 km².

Ano de lançamentos de jogos de mundo aberto

 Novas consoles e plataformas possibilitam que mais jogos de mundo aberto sejam criados. O ano de 2017 se destacou, pois foram vários os games lançados no formato. Veja alguns deles:

Super Mario Odyssey

 Um dos games do ano, “Super Mario Odyssey” é um jogo “que nunca para de mudar, mesmo depois de dúzias de horas”, como diz a Forbes. Segundo o site, o jogo passa a sensação de ter um cenário que parece enorme à primeira vista, mas que diminui com o tempo. Fãs do Nintendo 64 vão lembrar do jogo “Super Mario 64”, já que os elementos são parecidos. O jogo está disponível para Nintendo Switch.

 

 Zelda: Breath of the Wild

 Eleito o game do ano, “Zelda: Breath of the Wild” traz as aventuras do protagonista da franquia, Link, no formato de mundo aberto. Gamers podem cumprir as missões do jogo na ordem que quiserem. Especialistas disseram que o título é um marco no game design para mundo aberto. O jogo é da Nintendo, então está disponível somente para o Switch.

 Need for Speed: Payback

O game “Need for Speed” prova que o formato de mundo aberto pode ser aplicado em diferentes tipo de jogo. No game, o jogador pode explorar o amplo cenário para achar diferentes missões, que envolvem cinco classes diferentes de carros: corrida, off-road, drift, drag e runner.

 Assassin’s Creed: Origins

Mais um jogo de mundo aberto lançado em 2017. E também outro bem elogiado: lançado para PlayStation 4 e Xbox One, “Assassin’s Creed Origins” se passa no Antigo Egito e dá a possibilidade do gamer explorar um amplo cenário.

Jogos de mundo aberto são sempre divertidos?

Não necessariamente. A falta de linearidade pode deixar o game entediante para quem quer simplesmente seguir um caminho e chegar logo ao final do jogo. Gaby Ferreira, do NowLoading, diz que está cansada de jogos do tipo e dá até um nome específico para sua insatisfação: fadiga de mundo aberto. No entanto, para ela o problema não está no formato e sim no que chama de “experiências parecidas”, além do seu momento pessoal. “Não quero jogar um game que exige tanto de mim. Mas isso não significa que porque estou cansada outros também estão”, explica. O lado bom dos jogos de mundo aberto é que você pode voltar para o modo tradicional, com linearidade, quando desejar na maioria dos jogos.

Compartilhe esse artigo

Tópicos relacionados

Games

Leia também

Read Full Story