Lifestyle

Tecnologia de gestão do estresse ajuda a manter a calma

Amy Roberts Writer and Fitness Professional

Desde aplicativos para smartphones com inteligência artificial até tecnologias vestíveis, as últimas inovações estão ajudando as pessoas a encontrar e seguir os métodos de meditação e alívio do estresse mais adequados ao seu estilo de vida.

Em muitos aspectos, a tecnologia contribui para altos níveis de estresse ao incentivar um ritmo vertiginoso, do tipo “tudo para ontem”. No entanto, alguns inovadores estão usando a tecnologia para diminuir o estresse, incentivar a calma e aumentar o bem-estar.

“Os praticantes da meditação já existem há centenas, se não milhares de anos, e todos nós nos apoiamos neles”, declarou Jeffrey Martin, doutor em ciências sociais e especialista em Tecnologia da Transformação, que usa a tecnologia para estudar e ajudar as pessoas que aprendem a meditar no seu curso Finders Course.

“Atualmente, temos um certo aumento gradual entre os estudos acadêmicos modernos que comprovam os benefícios à saúde dessa prática antiga e a maturidade da Internet e da tecnologia, que juntos estão tornando este momento ideal para a inovação.”

Mesmo assim, ainda há inúmeros obstáculos à meditação. Em primeiro lugar, existe o desafio humano de assumir um compromisso com o novo hábito. Em segundo, a meditação não é uma solução padronizada; existem vários tipos, inclusive o mais conhecido, de atenção plena (mindfulness) e mantra.

meditação com tecnologia móvel

Além disso, pode ser difícil saber se o estilo de meditação está realmente ajudando o praticante, uma vez que não existem resultados quantificáveis evidentes como acontece com os programas de perda de peso. Nos últimos anos, os tecnólogos desenvolveram ferramentas e aplicativos para tratar dessas questões, colocando a busca da tranquilidade ao alcance de todos.

Meditação sob demanda

Existem dezenas de aplicativos conhecidos para smartphones, como o Headspace e o Calm, que apresentam bibliotecas de diferentes meditações, programas estruturados e lembretes por toque. Esses aplicativos também oferecem incentivos para manter uma prática constante e aumentar o tempo empregado na meditação.

Para diminuir a desistência, um aplicativo chamado Aura usa inteligência artificial para coletar informações demográficas sobre seus usuários. Ele pede que os usuários classifiquem suas experiências de meditação e, por sua vez, informa os tipos de meditação recomendados para cada dia.

Como medir a resposta ao estresse

Mas a tecnologia de alívio do estresse, segundo Martin, é mais convincente quando registra e mede respostas psicológicas específicas ao estresse.

A pulseira vestível WellBe (US$ 149) usa um sensor óptico para medir a frequência cardíaca (FC), um conhecido indicador do nível de estresse. A FC é o intervalo de tempo entre as batidas do coração e já foi comprovado que quando esse intervalo entre as batidas varia, a pessoa está passando por estresse.

“Oferecemos a capacidade de medir o nível de estresse a qualquer hora do dia, bem como automaticamente, e fornecemos estatísticas para que você conheça os acionadores do seu estresse”, disse Doron Libshtein, cofundador da WellBe.

Ao manter registros de hora em hora e fazer referências cruzadas com a agenda on-line e a geolocalização do usuário, o aplicativo WellBe pode identificar as situações de maior estresse e fornecer meditações – obtidas no site MentorsChannel.com, também fundado por Libshtein – para combatê-las.

A visualização dos registros com o passar do tempo, acrescentou Martin, também pode ter um efeito antiestresse.

“É muito instrutivo conhecer os hábitos do organismo e os padrões de resposta que você não consegue detectar conscientemente”, disse ele. Ao se conscientizar do estresse por meio dos dados, o usuário pode fazer ajustes, tanto intencionais como subconscientes, para reduzir o estresse.

gráfico de meditação

Analisando outro aplicativo tátil, o Spire (US$ 150), um dispositivo que pode ser acoplado ao cinto ou ao sutiã, tem a função tanto de acompanhar as atividades como de monitorar a respiração. Usando sensores de força, ele determina a frequência respiratória e a profundidade da inspiração por meio da expansão e contração do tórax. Ao detectar um padrão de respiração menos profundo ou mais rápido do que o normal do usuário, o Spire classifica o seu estado de estresse adequadamente e faz a sincronização de acordo com a agenda e a localização da pessoa. Notificações instantâneas alertam o usuário e oferecem exercícios respiratórios orientados para combater o aumento da frequência respiratória.

Como alternativa, o dispositivo The Pip (US$ 179), mede o estresse antes e depois das sessões de meditação. É equipado com sensores de resposta galvânica da pele (GSR), que permitem que o dispositivo determine o nível de estresse com base na atividade eletrodinâmica (EDA), que consiste na capacidade da pele de conduzir correntes elétricas. Quando uma pessoa está passando por estresse, o suor aumenta, fazendo com que os impulsos elétricos desloquem-se mais rapidamente.

De acordo com Marie Clarke, diretora de marketing da Galvanic, fabricante do Pip, os usuários devem interagir ativamente com o dispositivo em vez de esperar passivamente por um feedback.

“Ao tirar o dispositivo e interagir com ele, você está fazendo algo intencional para se acalmar”, disse Clarke. “Você recebe feedback quantitativo em tempo real durante e após a sessão de meditação. Ele se torna um mecanismo de enfrentamento quando você passa por estresse.”

Calma sem esforço

Com a prática regular, a meditação treina o corpo e a mente para usar automaticamente as estratégias de enfrentamento em resposta a situações de grande estresse. Enquanto muitas pessoas esforçam-se para realizar uma prática de meditação constante, algumas tecnologias, por sua vez, atuam como a própria meditação ao restabelecer o foco do usuário.

A empresa Thynk, por exemplo, emprega a neuroestimulação transdérmica – uma corrente elétrica muito baixa – em um dispositivo que fica preso à cabeça e ao pescoço. O dispositivo estimula os nervos a relaxar ou energizar o usuário, dependendo do programa selecionado.

O Thync Relax concentra-se nas frequências tranquilizantes e as direciona para a parte posterior do pescoço a fim de fornecer um relaxamento profundo em sessões que duram 30 minutos ou menos, de acordo com Isy Goldwasser, cofundador e CEO da Thync.

“Esse dispositivo é voltado para pessoas que sofrem de estresse e ansiedade e que dormem menos de seis horas por noite”, explicou. “Você não precisa ficar sentado em uma sala escura e respirar calmamente para sentir os efeitos.”

O sistema de inibição do estresse, NuCalm, consiste em um processo em quatro etapas: ingestão ou aplicação de GABA (um aminoácido que funciona como o principal neurotransmissor tranquilizante no cérebro) na pele; aplicação de um dispositivo de eletroestimulação craniana que emite uma corrente elétrica muito baixa; ouvir uma música que utiliza um software neuroacústico para provocar o relaxamento; e uma máscara para os olhos que bloqueie a passagem de luz.

“O conceito básico é equilibrar o sistema nervoso autônomo entre o estresse e a resposta ao repouso”, disse James M. Poole, presidente e CEO da NuCalm.

“Travamos o estresse e estimulamos o repouso fazendo com que a função das ondas cerebrais fique entre 4 e 7 hertz, o que é um pouco acima do sono profundo, ou o estado que alguns monges conseguem atingir por meio da meditação.”

O sistema original custa US$ 4.295 e, por ser um dispositivo médico de classe III da FDA, requer prescrição médica. Um dispositivo relativamente mais viável em termos econômicos, o ReNu da NuCalm, está previsto para ser lançado em novembro por cerca de US$ 900, segundo a empresa.

Um futuro sem estresse

Embora Martin esteja entusiasmado com essas inovações, ele vê oportunidades de melhorias.

“A parte interessante refere-se ao processamento de dados”, explicou ele.

O hardware e os sensores estão melhorando, mas o desafio está na criação de algoritmos que interpretem os dados de forma significativa, disse Martin. Proporcionar mais significado à vida das pessoas é uma função essencial para que essas tecnologias de redução do estresse integrem-se perfeitamente à grande variedade de estilos de vida.

relaxamento sem dispositivos

 

Compartilhe esse artigo

Tópicos relacionados

Lifestyle Saúde

Leia também